RSS
 

07 Fev

 

O chocolate deve ser consumido com moderação, apesar do especial prazer que proporciona.

Ganho de peso, diarréia e outros problemas intestinais e desnutrição são alguns dos efeitos do excesso de consumo de chocolate. Grandes quantidades podem piorar até a saúde cardiovascular e causar problemas futuros no organismo.

 

 

CHOCOLATE DE LEITE

 

É preferível o consumo de chocolate de leite em vez do chocolate branco pois possui menos gordura hidrogenada e maior quantidade de cacau na composição, sendo por isso mesmo menos calórico.

Tanto o chocolate de leite como os outros tipos são bem menos calóricos na sua forma pura. Nozes, cremes e outros componentes acrescentam gorduras ao alimento o que o tornam um inimigo das mais diversas dietas.

 

CHOCOLATE AMARGO

 

Na semente do cacau existe uma substância antioxidante chamada flavonóide, que actua como protector cardiovascular. Os flavonóides reduzem a oxidação do LDL (o mau colesterol).

Porém, os benefícios dependem da quantidade de flavonóides presente no chocolate e quantidades realmente significativas da substância só são encontradas no chocolate amargo, que tem mais de 70% de cacau.

De acordo com alguns nutricionistas, o ideal é que seja consumida uma quantidade equivalente a, mais ou menos, dois quadrados, para receber os benefícios antioxidantes do chocolate amargo, pois em excesso ele torna-se nocivo, como qualquer outro.

 

CHOCOLATE BRANCO

 

O chocolate branco é constituído a partir apenas da manteiga de cacau, por isso, não tem nenhuma quantidade de antioxidantes. É o tipo que mais causa controvérsias: enquanto é o preferido de muitos, outras pessoas nem o consideram chocolate, porque ele não contém o licor de chocolate, uma fermentação não alcoólica do cacau que é a peça chave na composição dos outros chocolates.

É o menos indicado, por não apresentar propriedades benéficas em sua composição.

 

CHOCOLATE “DIET”

 

Nos chocolates “diet”, o açúcar é substituído por adoçantes. É um tipo de alimento geralmente desenvolvido para diabéticos, mas acaba por ser adquirido também por quem quer diminuir a ingestão de calorias.

No entanto, trocar açúcar por adoçantes modifica a textura do alimento e, para conseguir a textura habitual, os fabricantes acabam por adicionar mais gordura, tornando o valor calórico do chocolate diet igual ou maior ao de um chocolate convencional. O ideal para quem quer emagrecer é ter muita atenção aos valores nutricionais dos alimentos, escrito nos rótulos dos produtos.

Share on Facebook

Veja também:

 

Tags:

Deixe um comentário